Human Aesthetic Group

HUMAN_AESTHETIC_GROUPvarices_legs

Uma Breve História do Conhecimento das Doenças Venosas

Curso de Estética Vascular

Inscrições
       
    HOME
  O Início
  A Cirurgia de Varizes até os Tempos Modernos
  A História da Escleroterapia
  O Controle Estético das Doenças Venosas
  Novos Métodos - O LASER e a Crioescleroterapia
  Uma Galeria Histórica
  Texto Completo em PDF
  Bibliografia
 

Uma Breve História do Conhecimento das Doenças Venosas

Autor: Prof. Dr. Miguel Francischelli Neto

Mestre e Doutor em Cirurgia Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas
Chefe do Serviço e Coordenador do Programa de Residência Médica em Cirurgia Vascular do Hospital de Ensino da ISCML
copyright do autor 2002 -2012
Proibido reproduções sem autorização
 
clique nas imagens para aumentar

2-A Cirurgia de Varizes até os  Tempos Modernos

 

 No início da Era moderna da  cirurgia de varizes, encontramos o nome do primeiro diretor da academia de cirurgia de Paris, Jean Louis Petit  (1674-1750).  Ele  descrevia que a causa das veias varicosas era “alguma coisa que obstruía o caminho do sangue nas veias”. Petit, sem menção de anestesia,  praticava a retirada cirúrgica de veias varicosas. Na Itália, um cirurgião pouco conhecido, Giovanni Rima ( 1783-1843), praticava a ligadura da safena no terço médio da coxa. 10
Em 1846, Benjamin Brodie, no Reino Unido, descreveu um teste semelhante ao que seria, posteriormente, conhecido como teste de Trendelembug. Recomendou a ligadura da crossa de safena para o tratamento da doença varicosa. 10 (figura 2.21)

2.21brodie.jpg (25kb)

Figura 2.21: Benjamin Brodie. Reprodução de publicação de Maull e Polyblank,  Londres, 1856. Divisão de História da Medicina da Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA.

Em 1877, Schede utilizava técnicas de ligadura percutânea, interrupções múltiplas e depois dele em 1885, Madelung descreveu a retirada completa da safena magna, combinada com a  ligadura de colaterais. O procedimento de Madelung foi muito popular até se demonstrar que estava associado à embolia pulmonar em 1% dos casos. 11 (figura 2.22)

228madelung1884.jpg (56kb)

Figura 2.22 O Procedimento de Malung de 1884

Friedich Trendelemburg, em 1890,  na Alemanha, realizou e divulgou a ligadura da safena na transição entre o terço proximal e médio da coxa. Trendelemburg analisou a anatomia venosa, descreveu o sistema de válvulas, as relações entre o sistema superficial e profundo e as diferentes manobras externas que permitem avaliar, clinicamente, o sistema venoso.  Trendelemburg deu  início aos conhecimentos técnicos os quais  chegam aos médicos que tratam das doenças vasculares  hoje,e que podem ser considerados seus  sucessores. 8,10 (figura 2.23)

2.22trendelemburg.jpg (53kb)

Figura 2.23: Friedich Trendelemburg. Divisão de História da Medicina da Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA.

            Em 1908, foi descrita na Alemanha uma técnica cirúrgica de triste memória, conhecida como cirurgia de Rindfleish – Friedel. Consistia na ligadura da safena na crossa, e depois a realização de espirais com cinco a sete voltas, atingindo a fáscia  muscular e permitindo a ligadura das colaterais. O fechamento era obtido com cicatrização  por segunda intenção, com resultados obviamente desastrosos. 11 (figura 2.24)


2.23arindfleisch-friedel1.jpg (48kb)

2.23brindfleisch-friedel2.jpg (13kb)

2.23crindfleisch-friedel3.jpg (23kb)

Figura 2.24: Cirurgia de Rindfleisch- Friedel. A  História da Cirurgia Venosa produziu algumas situações impensáveis, que no entanto ocorreram .

Em 1896, na Austrália, Willian Moore descreveu a ligadura da crossa de safena sob anestesia local. No mesmo ano, na Inglaterra,  Thelwall Thomas descreveu a mesma técnica. Nos EUA, em 1916, John Homans e em 1930 Geza de Takatz descreveram a ligadura da crossa da safena. 10
Em 1905,  Willian Keller descreveu a retirada da safena magna com o uso de um fleboextrator interno que invertia a veia sob si mesma. Em 1906, Charles Mayo, nos EUA,  descreveu a retirada da safena, utilizando um fleboextrator em anel, que permitia a retirada da veia e a secção de colaterais. 6, 9(figura 2.25a,b,c,ed)


Fleboextração de keller 1905.jpg (53kb)a

Fleboextração de mayo 1906.jpg (52kb)b

Fleboextração de babcok 1907.jpg (48kb)c

 

evlt2001.jpg (33kb)d

 

Figura 2.25: A técnica de fleboextração de Keller . 2.25b:  A técnica de fleboextração de Mayo e 2.25c : A técnica de fleboextração de Babcok. 2.25d Moderna fibra de Laser Endovenoso.

Em 1907 nos EUA, Sthephen Babcock criou um fleboextrator com cabeça, precursor dos atualmente utilizados.  Em 1940, Tom Myers, nos EUA, popularizou a fleboextração da safena magna como realizada hoje, com ligadura da safena na junção safeno-femoral, ligadura dos ramos,  passagem do fleboextrator no sentido distal-proximal e retirada escalonada das colaterais. 10
Em 1927 Unger propos a ligadura proximal da crossa da safena e escleroterapia aberta retrógrada da safena. 128 Esta técnica tem sido de tempos em tempos lembrada, mas com índices de complicações não aceitáveis. (figura 2.26)

unger1927.jpg (53kb)

Figura 2.26 Cirurgia de Unger. Ligadura proximal da Crossa da Veia  Safena Magna e esclerose retrógrada aberta.

Com o trabalho de Moro, terminamos a fase histórica da cirurgia de varizes. Moro propôs ligadura da safena na crossa, ressecção da safena seguida da ressecção das veias comunicantes insuficientes. No Brasil, Correia Neto, em 1935,  introduziu o método. É digna de notar-se ainda hoje  sua citação logo no início do trabalho: “ O tratamento das varizes dos membros inferiores não é fácil de ser regularizado devido a divergência de opiniões reinantes sobre o valor curativo do método esclerosante e do processo sangrento...”   . 129 (figura 2.27)


alipiocorreianeto.jpg (85kb)

Figura 2.27 O trabalho pioneiro de Alípio Correia Neto  sobre cirurgia de varizes no Brasil. Cortesia de Luccas G.C.

Continua parte 3 - A História da Escleroterapia